21 de set de 2009

import this


Esta semana finalmente consegui me inscrever no Google App Engine. Após usar um celular de uma amiga, veio a bendita mensagem SMS. Que coisa.
Mas esta semana estou no aguardo de uma promoção (difícil), a definição do que vai sair na versão 3.1.2 do sistema datacenter e o que vai ficar para uma release "Far, far away."
Ou seja, estou entre entregar os relatórios da faculdade e pensar na minha pós. Nada mais.
Mas bem, no Google App Engine somente agora o pessoal lançou a versão para Java. Eu estou entre a cruz e a espada. Nunca achei nada de mais em Java, e acreditava que assembler e C eram o canal. Mas após ler algumas coisas no site do Guido van Rossum e um "import this", descobri uma linguagem muito mais simplista, poderosa e muito completa.
Principalmente na capacidade de rodar dentro de outras VM, com o Jython para máquinas Java, do IronPhyton para máquinas .NET e outras mais bizarras, posso fazer todas as classes se comunicaram. Posso desenvolver sistemas em qualquer arquitetura. Isso facilita. Achei uma referência para flush/load de classes dinamicamente, o que possibilita a edição dos fontes a quente(????).

Agora vou voltar a produção no Google novamente (uma pena que tiraram o mashup do ar).
Quero usar um frontend em java, com orquestration, com vários pequenos webservices no backstage, todos em python. Ainda tenho que definir:

1 - Definir o programa (que coisa complicada! Será que vai ser outro programa pra locadora???)
2 - Desenhar: Será publicado provavelmente no google code.
3 - Desenvolver
4 - Testar
5 - Apresentar